Memórias positivas podem curar a depressão

Memórias positivas podem curar a depressão

Experimento conseguiu curar sintomas depressivos imediatamente em ratos

(superinteressante)
POR Fábio Marton

tom-jerryTom e Jerry deprimidos Reprodução

Quem passou pela depressão sabe que uma das coisas mais difíceis na hora mais escura é conseguir tirar da cabeça pensamentos e lembranças negativas. Mas, se for possível, lembranças boas podem muito bem aliviar a depressão – e imediatamente. Ao menos se você for um rato geneticamente modificado recebendo um feixe de luz azul direto nos neurônios, no laboratório de Susumu Tonegawa.

Foi isso que o cientista do MIT fez. Funcionou assim: Tonegawa alterou ratos geneticamente para que seu cérebro tivesse proteínas sensíveis à luz. Com isso, os cientistas conseguem identificar quais neurônios são ativados quando uma memória é formada. Esses mesmos neurônios podem ser ativados novamente quando uma luz azul é emitida contra eles, trazendo de volta a memória.

Os cientistas usaram a primeira parte para gravar o armazenamento de uma memória prazerosa nos ratos: a exposição de machos a uma fêmea. Os mesmos ratos depois tiveram seus movimentos restritos por dez dias, o que causa depressão por estresse – sabe-se que eles estão deprimidos porque param de se interessar por água açucarada e não reagem quando são pegos pelo rabo, comportamentos de um rato mentalmente saudável.

Com os ratos devidamente repensando em suas decisões na vida e com um súbito interesse pelos Smiths, Tonegawa acendeu o facho de luz azul para trazer de volta a memória positiva.

Em minutos, as cobaias novamente se interessaram pela água adocicada, tentaram escapar quando pegos pelo rabo e talvez até tenham começado a mandar currículos (ok, essa parte não foi mencionada). Conclusão: foram curados da depressão por uma memória positiva.

jerry-coracao_0Jerry CoraçãoReprodução

Tonegawa comentou as possibilidades: “os resultados são ainda preliminares, mas eles apontam que áreas do cérebro envolvidas em armazenar memórias podem um dia ser alvo para tratar transtornos mentais em humanos”. Mas, como a gente bem avisou no começo da matéria, é preciso paciência. “Eu quero ser cuidadoso em não dar falsas expectativas aos pacientes. Estamos fazendo ciência muito básica.”

Tonegawa é o mesmo cientista que apresentou alguns dias atrás um método para curar amnésia, usando a mesma técnica de optogenética. Esquecemos de mencionar na ocasião, mas ele é o Prêmio Nobel da Fisiologia ou Medicina de 1987, quando trabalhava com imunologia e tinha um cabelo bem mais chocrível. .

Referências:

Activating positive memory engrams suppresses depression-like behaviour, Susumu Tonnegawa et. al. Nature, http://www.nature.com/nature/journal/v522/n7556/full/nature14514.html

Activating happy memories cheers moody mice, Nature: http://www.nature.com/nature/journal/v522/n7556/full/nature14514.html

Um comentário em “Memórias positivas podem curar a depressão

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s