Desastre (Flavia C da Silva)

Desastre (Flavia C da Silva)

Tento não fingir,
Que não irá acontecer de novo,
Como aconteceu daquela vez.
Eu deveria ter previsto o fim,
Agora estou de mãos atadas.

Eu queria te fazer feliz.
O amor é uma loucura,
É tão incrível,
Mas tudo está mudando,
E agora eu não posso mais aguentar.

Não adianta mais procurar,
Isso tem que acabar.
Não adianta olhar para trás,
Porque esse caminho não tem mais volta.
Para que esperar mais um dia?
Nada será como antes!
Tudo isso se tornou um grande desastre.

Não queria que ficássemos desse jeito.
Mas dizer ‘Te amo’ novamente,
Não parece ser o certo agora.
Eu estou indo embora,
Sei que isso será o melhor para nós
E talvez assim você possa perceber…

Tudo o que eu havia te dado,
Tudo o que fiz,
Tudo o que mudei,
E os sonhos que deixei para trás.
Agora que conheço você,
Sei que você esqueceu-se de tudo.
Eu não quero mais isso.

Não adianta mais procurar,
Isso tem que acabar.
Não adianta olhar para trás,
Porque esse caminho não tem mais volta.
Para que esperar mais um dia?
Nada será como antes!
Tudo isso se tornou um grande desastre.

Sinto-me como se tivesse atirado em mim.
Eu estou morrendo.
Eu não sinto meu coração bater.
Agora eu quero que você prove.
Toda a minha agonia.

Eu tentei, tentei.
Eu não vou mais chorar.
Pelas suas mentiras mais uma vez.
Eu agora vou encontrar um jeito,
De te esquecer de vez.

Não adianta mais procurar,
Isso tem que acabar.
Não adianta olhar para trás,
Porque esse caminho não tem mais volta.
Para que esperar mais um dia?
Nada será como antes!
Tudo isso se tornou um grande desastre.

Licença Creative Commons
Desastre de Flavia C. da Silva está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-SemDerivações 4.0 Internacional.

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s