Conceito de beleza é relativo

Conceito de beleza é relativo

Mas apenas em 50% dos casos. Estudo com gêmeos descobriu que noção de beleza também pode ser genética

POR Otavio Cohen

Getty
Esta é Paulina Vega, a Miss Universo 2015. Bonita o suficiente para você?
Parece que aquela história de que “a beleza está nos olhos de quem vê” e “quem ama o feio, bonito lhe parece” é mesmo verdade. Ou, pelo menos, meia verdade. É que as noções universais de beleza – aquelas com as quais todo mundo concorda – não são assim tão universais.

É verdade que rostos simétricos tendem a ser classificados como bonitos por todo mundo. Mas dentro do seu gosto pessoal, esse senso comum ocupa apenas 50% do espaço. O resto da sua noção de beleza é algo completamente único. Isso explica por que você às vezes acha uma pessoa linda e todos os seus amigos discordam.

Os cientistas responsáveis pelo estudo colheram os resultados de 35 mil pessoas que fizeram um teste online em que precisavam responder quem é bonito e quem é feio, a partir de uma série de rostos na tela. Depois, os pesquisadores pediram para 761 pares de gêmeos (idênticos e não-idênticos) responderem quais rostos eles achavam bonitos. As respostas variavam bastante de um gêmeo para o outro – apenas na metade dos casos os gêmeos concordavam.

A conclusão do estudo, que foi uma parceria entre especialistas do Massachusetts General Hospital, da Universidade de Harvard e da Wellesley College, é que noção de beleza pode ter raízes genéticas. Em outras palavras, você já nasce achando tal pessoa bonita e tal pessoa feia. Mas, mesmo assim, só vai haver unanimidade em 50% dos casos. Na outra metade dos casos, vale a sua experiência de vida. E não é só a criação que conta. São as caras que vemos na mídia, os rostos que marcaram nossa infância, como amigos e amores. Algo que dificilmente é igual entre duas pessoas, mesmo se elas forem gêmeas.

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s