Minha vida (Flavia C da Silva)

Minha vida (Flavia C da Silva)

Minha vida,
Eu quero correr,
Mas não tenho para onde ir.
Toda essa confusão é uma ilusão.
Eu não consigo me mover,
Não tem pra onde ir,
Não adianta correr e se esconder,
Não importa o quanto eu tente.

As coisas não são fáceis pra ninguém.
Sempre tem mais um problema pra resolver.
Por mais que tente falar,
As palavras não querem sair.
E tudo o que aparece são apenas mentiras.
Eu não aguento mais!
Estou metendo os pés pelas mãos mais uma vez.
Eu tenho que aprender mais essa lição.
Eu tento sempre, eu luto sempre.
Eu quero ver, eu quero mudar.
Mas eu não consigo sair do lugar.

Minha vida,
Eu quero correr,
Mas não tenho para onde ir.
Toda essa confusão é uma ilusão.
Eu não consigo me mover,
Não tem pra onde ir,
Não adianta correr e se esconder,
Não importa o quanto eu tente.

Como você se sente,
Toda a vez que te derrubam no chão?
Como é sempre receber um não?
Tentar carregar o mundo nas costas,
Mas o mundo que você carrega é pesado demais.
Tentando seguir o caminho certo,
Mas sempre querendo o caminho mais fácil,
Mas o fácil nunca é o melhor.
Eu sei que é difícil,
Mas é a única chance,
Que se tem pra se ter o que quer.

Minha vida,
Eu quero correr,
Mas não tenho para onde ir.
Toda essa confusão é uma ilusão.
Eu não consigo me mover,
Não tem pra onde ir,
Não adianta correr e se esconder,
Não importa o quanto eu tente.

Talvez isso seja engraçado,
Talvez eu tenha enlouquecido,
Mas eu sou guerreira,
Eu tenho garra,
Não quero suas mentiras,
Posso aceitar suas vaias,
Não quero seus sermões,
Não preciso dessas besteiras.
Aprendi o suficiente com as minhas rasteiras.
Eu tenho respeito,
Eu tenho os meus defeitos,
Esse é meu jeito,
E o que está feito está feito.

Minha vida,
Eu quero correr,
Mas não tenho para onde ir.
Toda essa confusão é uma ilusão.
Eu não consigo me mover,
Não tem pra onde ir,
Não adianta correr e se esconder,
Não importa o quanto eu tente.

Licença Creative Commons
Minha vida de Flavia C. da Silva está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-SemDerivações 4.0 Internacional.

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s