Cirurgia que melhora a memória de pacientes com Alzheimer é realizada no Brasil

Cirurgia que melhora a memória de pacientes com Alzheimer é realizada no Brasil

A operação foi feita este mês na Paraíba, num paciente de 77 anos, portador do mal de Alzheimer.

(superinteressante)
POR Camila Almeida 

Uma esperança contra o Alzheimer: foi realizada no Brasil uma cirurgia que pode combater o mal. O procedimento, chamado deestimulação cerebral profunda, funciona como um marca-passo cerebral – microcorrentes elétricas são descarregadas no cérebro, estimulando seu funcionamento. Um paciente de 77 anos teve o aparelho colocado este mês, em um hospital da Paraíba.

Esse tipo de operação vem sendo realizada de forma experimental no país desde 2013, quando médicos neurologistas começaram a testar o aparelho em pacientes de Alzheimer, para tentar frear o avanço da doença e ajudar na recuperação da memória. Antes disso, o estímulo era utilizado apenas nos portadores do mal de Parkinson – com melhora significativa nesses casos há mais de 20 anos.

Conforme informado pelo jornal Correio da Paraíba, que não revelou a identidade do paciente a pedidos da família, uma possibilidade era levá-lo ao Canadá para a realização da cirurgia, onde ela já é feita com sucesso há cerca de cinco anos. Entretanto, a equipe do Hospital Napoleão Laureano, em João Pessoa, garantiu que o idoso pudesse ser operado na instituição, no dia 11 de dezembro.

casal de idosos album de fotografiasAnna Bizon/ iStock

Apesar de tudo ter ocorrido dentro do esperado, só é possível começar a perceber como cérebro reagiu 30 dias após a realização do procedimento. O paciente já não reagia mais às medicações receitadas.

O que acontece no cérebro?

A estimulação cerebral profunda – Deep Brain Stimulation, em inglês – é um método utilizado contra males neurológicos, desde 1987. Os impulsos elétricos emitidos pelo marca-passo são enviados para a área afetada do cérebro. No caso do Alzheimer, eles proporciam aumento do hipocampo, área responsável pela memória.

Os pacientes submetidos ao estímulo são acompanhados com exames de PET-Scan, em que é possível visualizar a atividade cerebral. Após a cirurgia, áreas relacionadas à memória se mostram mais ativas em relação ao que apresentavam antes, sem o controle da doença. Isso quer dizer que, além de frear o mal, o procedimento pode ajudar areaquecer as lembranças.

Apesar de o tratamento promissor e de já ser utilizado a vários anos para doenças como o mal de Parkinson, seu uso contra o Alzheimer ainda é muito recente. Além disso, existem efeitos colateraisseveros, como alucinações, hiperssexualidade e até mudança de personalidade em alguns casos. Uma vez sentidos os avanços, médicos normalmente propõem o desligamento do aparelho e a utilização de um método menos invasivo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s