Palavras (Flavia C da Silva)

Palavras (Flavia C da Silva)

Sempre com pressa,
Nunca fica longe o bastante do celular.
Por que eu sou tão autossuficiente?
Eu disse que veria você em breve,
Mas isso foi há um ano talvez,
E eu não sabia que o tempo era essencial.

São tantas perguntas,
Mas eu digo a mim mesma,
E eu sei que você não pode me ouvir mais.
Não mais…
Tenho tanto a dizer a você,
E acima de tudo adeus,
Mas eu sei que você não pode me ouvir mais.

Está tão alto dentro da minha cabeça.
Com as palavras que eu deveria ter dito.
E eu estou me afogando em meu arrependimento.
E eu não posso voltar atrás com as palavras
Que eu nunca disse.
Que eu nunca disse…
E eu não posso voltar atrás com as palavras
Que eu nunca disse.

Sempre falando besteira,
Segui o seu conselho e fiz o contrário.
Por ser jovem e estúpida.
Eu teria sido tudo o que você poderia ter esperado,
Mas se você tivesse esperado um pouco mais.
Você teria mais razões para ter orgulho.

São tantas perguntas,
Mas eu digo a mim mesma.
E eu sei que você não pode me ouvir mais.
Não mais…
Tenho tanto a dizer a você,
E acima de tudo adeus,
Mas eu sei que você não pode me ouvir mais.

Está tão alto dentro da minha cabeça.
Com as palavras que eu deveria ter dito.
E eu estou me afogando em meu arrependimento.
E eu não posso voltar atrás com as palavras.
Quanto mais tempo eu ficar aqui,
Quanto mais alto o silêncio,
Eu sei que você se foi,
Mas às vezes eu juro que ouvi
Sua voz quando o vento sopra.
Então eu falo com as sombras,
Esperando que você possa estar me ouvindo,
Por que eu quero que você saiba.

Está tão alto dentro da minha cabeça.
Com as palavras que eu deveria ter dito.
E eu estou me afogando em meu arrependimento.
E eu não posso voltar atrás com as palavras
Que eu nunca disse.
Que eu nunca disse…
E eu não posso voltar atrás com as palavras
Que eu nunca disse.

Que eu nunca disse…
E eu não posso voltar atrás com as palavras
Que eu nunca disse.

Licença Creative Commons
Palavras de Flavia C. da Silva está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-SemDerivações 4.0 Internacional.

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s