PASSADO É REFERÊNCIA E NÃO RESIDÊNCIA

PASSADO É REFERÊNCIA E NÃO RESIDÊNCIA

O passado deve ser encarado como aprendizado, como lição para nossas vidas, no sentido de nos fazer repensar nossos comportamentos e nossas atitudes, para que possamos nos tornar seres humanos melhores.

Passado-presente-e-futuro.jpg

Existem fatos passados que desejamos esquecer e outros que nos deixam saudosos e com vontade de viver de novo tudo aquilo; ou seja, os tempos idos podem ser fonte de arrependimento ou de satisfação. E, certamente, o passado é algo que não volta mais, apenas pode ficar guardado em nossas lembranças e em nossos corações. Saber lidar com o equilíbrio entre o nosso ontem e o nosso hoje é, por isso mesmo, uma arte.

Há quem se prenda a um amor da juventude que não deu certo; quem se lamente por aquela amizade não cultivada; quem se incomode pelo que deixou de fazer; quem se afoga em palavras não ditas; quem quer voltar e fazer tudo de outra forma. De nada irá adiantar olharmos o que passou como o lugar de nossos erros, o lugar onde escolhemos tudo errado, porque, mesmo que não possamos consertar o que é ido, ao menos poderemos nos voltar ao que virá com a certeza de que agora será diferente.

Existe, também, quem enxergue o passado como um local melhor e mais feliz, onde tudo era mais simples, fácil, onde a felicidade era muito mais intensa. Nesses casos, o saudosismo exagera os tons rosáceos daquilo que passou, muitas vezes utilizando-se desse expediente como escapismo ao medo de enfrentar as dificuldades de um hoje desagradável. Inútil tentativa de fuga, uma vez que o tempo presente sempre estará ali na nossa frente, clamando por atitudes de nossa parte.

Na verdade, o passado deve ser encarado como aprendizado, como lição para nossas vidas, no sentido de nos fazer repensar nossos comportamentos e nossas atitudes, para que possamos nos tornar seres humanos melhores. Enxergar onde erramos nos ajuda a não voltar ao erro, bem como perceber o que foi bom nos ajuda a manter em nossas vidas tudo aquilo que nos faz bem. É assim que acertamos quanto à ponderação sobre tudo o que precisamos romper ou manter junto de nós.

Não podemos romantizar nem desmerecer o que passou, mas sim conduzir o presente a partir das reflexões que fizermos frente ao que vínhamos escolhendo até então. Perdemos muito com o passar do tempo, porém, tudo o que somos, temos, tudo em que acreditamos faz parte da construção de nossa jornada. Não seríamos tão especiais e únicos sem ter errado, sofrido e sem ter vivenciado tudo de bom que nos aconteceu.

Enfim, ou levamos conosco o passado, já digerido, enquanto caminhamos pra frente, em movimento contínuo, ou paralisamos inutilmente sob o peso de lamentações ou de idealizações inservíveis. Vida que segue, sempre.

 

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Uma consideração sobre “PASSADO É REFERÊNCIA E NÃO RESIDÊNCIA”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s