TODO O AMOR QUE HOUVER NESSA VIDA

TODO O AMOR QUE HOUVER NESSA VIDA

Corpo que se abre. Alma que se liberta. Lábios que se buscam. Suspiro que se revela. Coração acelerado. Pele em chamas. Suor que escorre. Delírio que inebria. Satisfação presente, doce proteção que acalenta. Confiança e saudade. Palavras soltas em parágrafos inspirados. Descoberta indecifrável. Enigma.

Fotor_146875551356699.jpg

Inspirado num amor real…

Querer todo o veneno do desejo. Todo o beijo que há. Toda vontade que nos pertence, pra se dar ao outro. Assim deve ser quando se ama. Quando se quer bem, mais do que a si mesmo.

Não se anular, mas se completar com a outra metade. Ser inteiro sendo dois. Um universo repartido, e ainda sim, feliz por ser o que é. Cumplicidade. Tudo se ajusta, na bagunça de tantos sentimentos.

Tudo é tão pouco, pois se quer mais. Há o medo de perder e a necessidade de se conquistar. Para sempre, ser eterno. Quando se ama, necessita-se da sede constante, da paixão esfomeada, daquilo que alimenta a alma.

Sem freios, sem limites de velocidade. O melhor é transbordar, deixar sair das fronteiras, multiplicar. O tempo é sagrado. A distância engrandece ou entristece, mas põe mais certezas no que já não vive sem o toque, sem o atrito da pele.

Quem dera houvesse padrões ou fórmulas, ou melhor, ainda bem que não há. Assim, desistimos da procura aprisionada e nos entregamos a aventura. Na hora certa, não haverá o erro da dúvida, e sim a felicidade do encontro.

Nesse instante, deitado no berço terno de um abraço, não sobrará rancor, tristeza ou solidão. Assim deve ser o amor. A cura. A revolução. As mãos macias e entrelaçadas revelando que já não tememos mais nada.

Corpo que se abre. Alma que se liberta. Lábios que se buscam. Suspiro que se revela. Coração acelerado. Pele em chamas. Suor que escorre. Delírio que inebria. Satisfação presente, doce proteção que acalenta. Confiança e saudade. Palavras soltas em parágrafos inspirados. Descoberta indecifrável. Enigma.

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s