Perigosamente (Flavia C. da Silva)

Perigosamente (Flavia C. da Silva)

Isso dói, mas eu me culpo primeiro,
Porque eu ignorei a verdade.
Bêbada de amor, com a cabeça alta,
Não há como esquecer de você.
Você me acorda, mas me sufoca,
Eu estava tão obcecada.
Dei tudo de mim, e agora honestamente,
Não sobrou nada.

Eu te amo perigosamente.
Mas do que o ar que eu respiro.
Sabia que ia falhar,
Na velocidade em nós estávamos indo,
Não me importei com as explosões e tudo ficar em ruínas.
Eu te amo perigosamente.

Eu costumava me sentir segura e forte,
Quando sentia nossas mãos entrelaçadas.
Vejo como as coisas mudaram,
Porque agora você é o trem,
E eu sou quem está amarrada no trilho.
Você me acorda, mas me sufoca,
Eu estava tão obcecada.
Dei tudo de mim, e agora honestamente,
Não sobrou nada.

Eu te amo perigosamente.
Mas do que o ar que eu respiro.
Sabia que ia falhar,
Na velocidade em nós estávamos indo,
Não me importei com as explosões e tudo ficar em ruínas.
Eu te amo perigosamente.

Você me derrubou,
Quando me beijou e partiu.
Eu vejo agora,
Que era uma questão de tempo.
Você sabe que eu sei, que só há um lugar
Para onde isso poderia levar.
Mas você é o fogo, eu sou a gasolina.

Eu te amo, eu te amo, eu te amo perigosamente.
Mas do que o ar que eu respiro.
Sabia que ia falhar,
Na velocidade em nós estávamos indo,
Não me importei com as explosões e tudo ficar em ruínas.
Eu te amo perigosamente.

Licença Creative Commons
Perigosamente de Flavia C. da Silva está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-SemDerivações 4.0 Internacional.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s