EPICURO DESEJA A NÓS UM FELIZ ANO NOVO

EPICURO DESEJA A NÓS UM FELIZ ANO NOVO

É preciso pouco pra ser feliz. O difícil é nos darmos conta disso.

epicuro 1.png

Nessa época do ano é comum as pessoas desejarem abundância aos que amam. Sempre que vejo essas mensagens me lembro de Epicuro. Felicidade, para Epicuro, é sinônimo de hedonismo, ou seja, aproximar-se do que é prazeroso e fugir do que é doloroso. Contudo, engana-se quem acredita que o prazer é excesso.

Na verdade, é justamente aí que reside uma das fontes de dor: quanto mais se quer, mais se sofre. O prazer pleno não se realiza na satisfação dos desejos, mas na remoção dos desejos não-naturais e não-necessários (honra, riqueza, glória). Assim, Epicuro nos ensina que é preciso pouco pra ser feliz: comida, bebida, moradia e satisfação das necessidades fisiológicas. Pra isso, a filosofia é essencial, já que ela nos ensina a moderar os os desejos utilizando a racionalidade.

“Uma vez que tenhamos atingido esse estado, toda a tempestade da alma se aplaca, e o ser vivo, não tendo que ir em busca de algo que lhe falta, nem procurar outra coisa a não ser o bem da alma e do corpo, estará satisfeito. De fato, só sentimos necessidade do prazer quando sofremos pela sua ausência; ao contrário, quando não sofremos, essa necessidade não se faz sentir.”

Outro ponto fundamental é a Philia. O homem, em pequenas comunidades, compartilhando o que há de mais importante: os laços da autêntica amizade.

rainbowgathering-1024x685.jpg

Desse modo, pra Epicuro, seria possível viver a imortalidade nessa vida, no aqui e agora.

“Medita todas estas coisas e nunca mais te sentirás perturbado, mas viverás como um deus entre os homens. Porque não se assemelha a um mortal o homem que vive entre bens imortais.”

 

Anúncios

Autor: fcrissilva

"Eu sou o tudo. Eu sou o Nada. Sou os livros que li, os momentos que passei, eu sou os brinquedos que brinquei, e os amigos que conquistei. Sou o amor que dei, e os amores que tive, as viagens que fiz, e os esportes que pratiquei. Sou minha matéria preferida, minha comida predileta, essa sou eu...eu mesma, será que vais entender? Sou o ódio resguardado, sou os sonhos realizados, os objetivos alcançados. Eu sou o meu interior, mas tambem meu exterior. Sou um conjuntos de fatores que você não pode entender. Sou a saudade, os abraços que já dei, eu sou o passado, mas também o presente e o futuro, sou os meus atos. Sou o perfeito, Mas também sou o imperfeito. Sou o contraste e a contradição. Sou a complexidade do mundo. SOU O QUE NINGUEM VÊ."

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s