O Dicionário da Maçonaria

O Dicionário da Maçonaria

Conheça termos e palavras que revelam os rituais da sociedade secreta mais famosa do mundo


maconaria5

(Victor Candia)

Avental

Peça de vestuário obrigatória para que um maçom possa participar dos trabalhos em uma loja. O avental dos aprendizes é branco, e simboliza a inocência. Deve ser usado com a aba levantada, para proteger o aprendiz durante o trabalho com a “pedra bruta”. Isso é uma alusão ao estágio inicial do trabalho de um pedreiro, em que ele precisa começar a talhar a pedra desde o início.


bolas

Bolas

Durante o exame de candidatos à admissão ou na votação para o Regimento Interno, são usadas esferas – tradição que remonta aos Cavaleiros da Távola Redonda. As bolas simbolizam as esferas que regem o Universo. Em uma loja, há duas esferas: uma para a Terra e outra para o Cosmo, localizadas acima das Colunas B e J. As esferas de escrutínio, usadas nas votações, podem ser brancas (aprovam a questão colocada de acordo com as normas do Regimento Interno) ou pretas (reprovam a questão).


Calendário maçônico brasileiro

O ano maçônico começa em 21 de Niçan (ou Nisan, março) no Brasil. Os meses começam sempre no dia 21, e terminam no dia 20 seguinte. Mas os maçons geralmente empregam o calendário comum, gregoriano. Nesses casos, usa-se a expressão EV (Era Vulgar), indicando que a data em questão é correspondente ao calendário comum e não ao maçônico.

Veja os meses da Maçonaria brasileira:
Março – Niçan (mês das espigas)
Abril – Içar (primavera, mês da magia)
Maio – Sivan
Junho – Tamuz
Julho – Ab
Agosto – Elul
Setembro – Etramon
Outubro – Maskevan
Novembro – Crisleu
Dezembro – Thebet
Janeiro – Sabet
Fevereiro – Adar


maconaria3

Delta luminoso

Atrás do Trono do Venerável Mestre, posicionado acima de sua cabeça e no formato de um triângulo com um olho no centro, fica o Delta Luminoso – assim chamado por sua forma triangular e por sempre ter uma fonte de luz incidente. Representa a presença física do Grande Arquiteto do Universo – onipresente – e sugere o uso de uma visão espiritual (a chamada terceira visão).


maconaria6

Estrela do Oriente

Com cinco pontas, ela simboliza o homem em seus cinco aspectos – físico, mental, emocional, intuitivo e espiritual. Ao fundo, observa-se a pirâmide com o olho que tudo vê, uma alusão a Deus.


Fitão

Faixa que alguns maçons de determinados graus usam a tiracolo. É inspirada na faixa na qual ficava a espada na época da Cavalaria.


grande-ordem

Grande Oriente

Antigamente, era o lugar onde se realizavam as convenções de todas as Grandes Lojas de um país. Com o tempo, porém, virou sinônimo de Grande Loja. No Brasil, há uma Grande Loja para cada estado e vários Grandes Orientes. No início, a Maçonaria brasileira era centralizada em um só Grande Oriente. Com o passar do tempo, uma dissidência o fez dividir-se em duas entidades independentes entre si. Mais tarde, outra dissidência levou ao surgimento do Supremo Conselho. Legitimado pela Carta Constitutiva da Suíça, ele conseguiu juntar as lojas dispersas e criou oito Grandes Lojas. Hoje em dia, somente duas instituições são consideradas regulares: as Grandes Lojas Simbólicas e o Grande Oriente do Brasil.


hermes

Hermes Trismegisto (Hermetismo)

Figura mitológica que aparece em um dos altos graus da Maçonaria Filosófica cujo nome significa “três vezes grande”. É, para os gregos e os egípcios, o pai da ciência, e é considerado o patrono dos Alquimistas da Idade Média. Tem 7 princípios, que são: Mentalismo (“o Universo é mente”); Correspondência (“O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima”); Vibração (“Nada há parado. Tudo se move e vibra”); Polaridade (“Tudo é duplo, tudo tem polos, tudo tem seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os opostos são idênticos em natureza, mas diferentes em grau. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados”); Ritmo (“Tudo tem fluxo e refluxo. Tudo tem suas marés. Tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação”); Causa e Efeito (“Todas as coisas têm seu Efeito, todo Efeito tem sua causa. Tudo acontece de acordo com a Lei. O Acaso é simplesmente o nome dado a uma lei não reconhecida, mas nada escapa à Lei”); Gênero (“O Gênero está em tudo. Tudo tem seu princípio masculino e seu princípio feminino. O Gênero se manifesta em todos os planos”). De Hermes Trismegisto deriva a doutrina do Hermetismo. Ela trata do conjunto de práticas secretas da magia que ainda é usado em alguns países. O exemplo mais comum é a Astrologia, suas previsões e o estudo da suposta influência dos astros sobre a vida humana. Do ponto de vista maçônico, o Hermetismo é uma referência aos Alquimistas.


yod

Iod

Sobre o dossel do trono do Venerável Mestre, há um triângulo de cristal puro, transparente e imaculado. No centro do cristal, é inserida ou pintada a letra hebraica IOD (10ª letra do alfabeto hebraico), cuja aparência se assemelha a uma vírgula. O símbolo é o emblema material da máxima divindade, do Deus Criador. É também o símbolo do gênero humano, pois sua forma lembra a de um espermatozoide. Segundo a lenda da criação da mulher a partir de uma costela de Adão, acredita-se que o princípio da criação foi masculino. Daí a Maçonaria não admitir mulheres.


maconaria2

Joias

Do latim significa “aquilo que traz alegria”. A joia maçônica tem dois sentidos: 1) ornamento que identifica quem o usa dentro da administração. 2) símbolo máximo da loja, representando as virtudes maçônicas, na forma do conjunto: esquadro, compasso e Livro da Lei. Em geral, a joia enquanto ornamento é colocada em uma fita que se pendura ao redor do pescoço. A loja possui joias específicas, que são divididas em dois grupos, as móveis (Pedra Bruta, Pedra Polida e Prancheta) não têm lugar fixo e são consideradas dessa forma porque transmitem alegria ao trabalhador, ou seja, o maçom. Também são usadas na construção do Grande Templo Espiritual, ou a forma como cada um deve encarar sua evolução espiritual. Há também as imóveis ou fixas (Esquadro, Nível e Prumo), que identificam de maneira específica a pessoa que ocupa certo cargo, como o Venerável Mestre (Esquadro), o Primeiro Vigilante (Nível) e o Segundo Vigilante (Prumo). Essas mesmas joias decoram os altares desses cargos. A administração de uma loja possui 20 cargos ao todo. Cada um usa uma determinada joia, nesta ordem:

Venerável mestre: Esquadro Primeiro vigilante: Nível Segundo vigilante: Prumo Orador: Livro Secretário: Penas cruzadas
Tesoureiro: Chaves Cruzadas Chanceler: Timbre Primeiro diácono: Malho ou Pomba ou ambos Segundo diácono: Trolha ou Pomba ou ambas Mestre de cerimônias:Régua ou dois bastões cruzados
Primeiro experto: Punhal Hospitaleiro: Bolsa Porta-estandarte: Estandarte Porta-espada: Espada Mestre de banquetes: Cornucópia
Arquiteto: Maço de cinzel Mestre de harmonia: Lira Bibliotecário: Pena sobre um livro Guarda do templo: Espadas cruzadas Cobridor externo: Alfanje

 


Laço simbólico

Um laço – arranjo feito com corda – simboliza o amor fraterno. Em um templo, há a Corda dos Oitenta e Um Nós. Nela, são feitos nós leves, com a laçada frouxa. Isso canaliza a energia que os maçons emitem para ser distribuída igualmente para todos. Cada um emite e recebe como retorno a energia somada. O arranjo é fixado na parte superior do Templo e representa os laços de amor fraterno.


Misticismo em cargos da loja

A Maçonaria acredita que os principais cargos de uma loja são ligados, de uma certa forma, ao misticismo religioso da Mesopotâmia.

Veja as relações:
Venerável mestre: associado ao planeta Júpiter, símbolo de sabedoria.
Primeiro vigilante: associado ao planeta Marte, símbolo da força.
Segundo vigilante: associado ao planeta Vênus, símbolo da beleza.
Orador: associado ao Sol, astro emanador de luz, guarda a lei maçônica, além de ser responsável pelas peças da arquitetura.
Secretário: associado com a Lua, pois reflete as conclusões do Orador.
Tesoureiro: associado ao planeta Saturno, símbolo da riqueza.
Mestre de cerimônias: associado ao planeta Mercúrio, já que esse cargo, bem como o planeta, circula pela loja como elemento de ligação.

Também há quem faça a associação dos cargos com a mitologia grega, da seguinte forma:

Venerável mestre: associação com Zeus por ser o dirigente da loja. É ligado também a Atena, deusa da sabedoria, já que esse oficial deve ter qualidades como sabedoria, prudência, inteligência e discernimento para a direção.
Primeiro vigilante: associado com Ares, deus da guerra. Também é relacionado a Héracles (ou Hércules), “o mais forte e vigoroso dos homens”.
Segundo vigilante: associado com Afrodite, deusa do amor e da beleza.
Orador: associado com Apolo, deus do Sol e criador da poesia e da música.
Secretário: ligado a Ártemis, deusa da Lua, da caça e das flores.
Tesoureiro: associado a Cronos, pai de Zeus. Titã, foi um dos deuses primordiais, que estiveram no início de todas as coisas.
Mestre de cerimônias: associado a Hermes, mensageiro dos deuses, pois esse oficial é considerado o mensageiro dos dirigentes da loja.


Oriente

Posição mais importante para a simbologia maçônica, pois é de onde nasce a luz astronômica, esotérica e espiritual. É a posição do Venerável Mestre e seu Trono. De lá, ele comanda o andamento dos trabalhos de uma posição puramente orientadora, como sugere a palavra “oriente”.


maconaria7

Piso xadrez

Representa povos do mundo unidos pela Maçonaria. Os triângulos e quadrados simbolizam a harmonia que pode existir na diversidade. Também sintetizam os contrários: bem e mal, corpo e espírito.


Sanctum sanctorum

Do latim, “Santo dos Santos”. Refere-se ao compartimento mais interno do Tabernáculo, construído por Moisés após sua saída do Egito. Nesse local ficava a Arca da Aliança. Nos Grandes Templos, o Sanctum Sanctorum era separado dos demais por um véu, já que era o local onde a presença de Deus se fazia sentir na Terra. Esse véu também protegia esse local, pois não era permitido às pessoas ver o que havia lá dentro. Quando Jesus morreu na cruz, o véu rompeu-se, eliminando o intermediário entre Deus e o homem. Na Maçonaria, o Oriente recebe uma “arca da aliança”, no grau de Mestre Secreto. Esse é o Sanctum Sanctorum do Templo.


Templo

O Templo de Perfeição é o título dado à terceira câmara de recepção do 5º Grau Escocês do Rito Moderno ou do Francês. Do templo de Salomão, a única evidência de sua existência é o Muro das Lamentações, em Jerusalém. O maçom usa esses documentos históricos para entender a filosofia de cada objeto e adorno utilizado lá. Com esse conhecimento, ele deve fazer, dentro de si, um Templo igual, incluindo a presença do Grande Arquiteto do Universo. O templo maçônico é o lugar onde acontecem os trabalhos no interior das lojas. Cada templo segue uma arquitetura inspirada em diretrizes estabelecidas nas Sagradas Escrituras. Eles também obedecem à situação solar e usam símbolos estabelecidos desde eras remotas, que separam o espaço em diferentes partes.


Venerável

Título concedido ao máximo dirigente de uma loja. A origem do termo está no século 17, quando foi usado pelas guildas inglesas (originalmente, “Worshipful”). O dirigente atinge esse cargo porque se torna o maçom que pode orientar e dirigir de forma totalmente independente, atrelado apenas a preceitos e rituais para tomar suas decisões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s